Voltar ao topo.Ver em Libras.
Distribuidora de Materiais Escolares Distrioeste

Reaproveitar o material escolar é uma alternativa econômica e sustentável#

« Última» Primeira🛈
ImprimirReportar erroTags:acumulativa, bem, fundação, proteção, defesa, consumidor, paulo e procon432 palavras6 min. para ler
Reaproveitar o material escolar é uma alternativa econômica e sustentávelVer imagem ampliada
O material escolar é sempre um dos elementos que mais gasta dinheiro nas trocas de semestre e de ano para as crianças e adolescentes. Além de precisar comprar mais folhas, canetas, lápis e borrachas, é comum que os estojos e mochilas estejam desgastados e precisando de um reparo. No entanto, o mais comum ainda é que o costume de trocar os materiais fale mais alto do que a necessidade e os pais acabem cedendo às vontades dos filhos por obter produtos mais novos e "na moda” quando os antigos permanecem em um estado razoavelmente bom.

Para conseguir economizar durante a troca de semestres a dica é, antes de tudo, avaliar as reais necessidades escolares de seu filho. Cheque seus materiais, teste as canetas já compradas e verifique em que condições estão as mochilas, estojos, pastas e fichários que ele deve utilizar para as aulas do próximo semestre. Confira se os materiais solicitados para o próximo semestre já não foram comprados no anterior e evite gastos desnecessários.

Após fazer a peneira entre aquilo que é necessário e o que pode ser reaproveitado, procure saber agora as coisas novas que precisam ser compradas para o material escolar. Faça uma lista com os itens essenciais, os de média necessidade e os de baixa e inicie a compra dos mais importantes. Pesquise muito e conheça diferentes lojas especializadas no assunto.

De acordo com os dados levantados pela Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo (Procon-SP), o custo dos produtos pode variar até 450% de uma loja para outra, então procure muito bem antes de fechar a compra em um único lugar. Outra dica é juntar uma quantidade de pais para ir até uma loja e tentar comprar mais produtos por um preço menor através de acordos e negociações com o proprietário ou vendedor.

Em algumas escolas já foi implantada a política de socialização de alguns materiais escolares como livros, apostilas e materiais didáticos. Isso porque em alguns locais, a reutilização é feita de maneira interna: após um aluno passar de ano, ele tem a opção de doar os materiais para as classes anteriores que agora irão precisar e com isso os materiais são reaproveitados, evitando acúmulo desnecessário para uns e promovendo a economia para outros.

Essa prática tem sido cada vez mais incentivada nas escolas e institutos de ensino. Isso porque o brasileiro tem o costume de tratar os produtos como descartáveis e isso inclui os materiais de ensino e aprendizado. Além de economizar dinheiro, o projeto auxilia na criação de uma cultura mais colaborativa e da promoção de uma lógica não acumulativa.

Fonte:http://www.agorams.com.br/